Parque Nacional Marinho comemora aniversário após reabertura de Noronha

Parque Nacional Marinho

A Atalaia e todos aqui na ilha estão em festa. Hoje é dia de parabenizar o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha por seus 32 anos. Nada melhor que esse início de flexibilização e o anúncio da reabertura do parque para deixar a comemoração ainda mais completa.

É importante evidenciar que a principal motivação para a criação do parque é preservar ainda mais toda natureza contida em Fernando de Noronha, sendo ele atualmente correspondente a 70% da ilha principal e demais ilhas do arquipélago.

O decreto oficial de fundação foi em 14 de setembro de 1988 e até hoje é muito latente todas as vantagens e importância que ele tem para Noronha. Vamos conhecer mais?

Conscientização sobre a preservação da biodiversidade

Os habitantes de Noronha são apaixonados pela natureza e todos os visitantes também se sentem arrebatados por tamanha beleza e diversidade, mas isso precisa sempre estar sensível aos olhos para que seja uma responsabilidade diária e nunca fuja dos valores de quem é nativo ou frequenta a ilha.

Existe uma imensa necessidade de conservação da natureza em todo planeta e Noronha é um local propício para ações desse tipo como também para pesquisas científicas que buscam compreender a biodiversidade do local.

O Parque Nacional Marinho é um dos locais mais importantes para a reprodução de aves marinhas do Atlântico, sem falar na sua função como espaço para alimentação e descanso da fauna migratória. 

Diante da constante extinção de animais e diversas catástrofes naturais ou até mesmo ações humanas criminosas que afetam diretamente tantas espécies, o Parque se torna um refúgio para eles..

Baleias, coral-de-fogo, tartarugas, ouriço-satélite, tubarão-limão, golfinhos-rotadores e raias. São cerca de 230 espécies de peixes e 15 de corais. Já em terra , outras espécies únicas da ilha como a lagartixa Mabuya e a cobra de duas cabeças Amphisbaena.

O que encontrar no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha?

Mas afinal, o que encontramos no parque? Como já falamos 70% da ilha principal está nas mediações do Parque Nacional Marinho e é lá que o visitante encontra as praias mais preservadas, quase intocadas pela ação humana. 

As águas cristalinas em meio às rochas e montantes de areia formam belíssimas piscinas naturais. 

Você pode passear de barco e observar de perto a diversidade marinha na Baía dos Golfinhos, dando até a sorte de contemplar seus saltos e rodopios.

Fazer mergulho também é uma das atividades queridinhas de quem visita. No fundo do mar podendo chegar até 50 metros descobrindo um novo mundo submerso. 

E para cada nível de visitantes temos uma trilha, da mais tranquila até a recheada de aventuras e empecilhos. Uma coisa é certa: O Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha é um paraíso primordial para sua experiência na ilha.

Um santuário tombado pela Unesco

Já comentamos por aqui que no parque habitam diversas espécies ameaçadas de extinção, como também algumas que são nativas da ilha, tornando o lugar um santuário para elas. 

Esse título foi oficializado em 2001 quando o Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha  foi tombado pela UNESCO como Patrimônio Natural Mundial da Humanidade.

Seu reconhecimento é mundial, seja pelo parque como também por suas praias premiadas como a Praia do Sancho que tem o título de melhor praia do planeta, eleita pelo site TripAdvisor por diversos anos consecutivos.

Reabertura do Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha

Com a flexibilização na Ilha para moradores e inícios de um protocolo do governo de reabertura para visitantes, o Parque Nacional também foi reaberto. Tudo está sendo feito  de forma gradual.

Para adentrar no parque é necessária a aquisição de um ingresso que  nesse primeiro momento precisa ser garantido de forma online no site do Parque Nacional que você encontra em nossa página {https://www.atalaianoronha.com.br/}.

Este ingresso tem do seu valor em média 70% investido em ações diretas para o Parque com manutenção de trilhas, reformas, sinalizações, manutenção do Centro de Visitantes. Dessa forma a ação se torna coletiva e todos colaboram com a conservação e preservação.

E para evitar qualquer possibilidade de aglomeração as praias estão funcionando de forma revezada.

Para facilitar seu roteiro e programação de viagem separamos informações importantes e todas as atividades que já estão liberadas:

BAÍA DO SUESTE –  Horário de funcionamento  9H – 16H 

(Não é permitido usar equipamentos de mergulho livre. O banho de mar está restrito à área central, demarcada com boias.)

SURF NAS CAIEIRAS – Horário de funcionamento  9H – 17H 

BAÍA DOS PORCOS –  Horário de funcionamento  9H – 16H 

(É permitido realizar mergulho livre, porém sem acessar a Baía do Sancho. A piscina natural localizada nas rochas é área proibida.)

TRILHAS FORTE DO SUESTE, CARACAS E LEÃO –  Horário de funcionamento  9H – 16H 

(Não é permitido acessar a Praia do Leão nem a Praia do Sueste. Não é permitido sair da Trilha de decks ou ultrapassar as cercas nos mirantes. A porteira do Leão será fechada às 17h, é preciso sair antes desse horário.)

PASSEIO NÁUTICO –  Horário de funcionamento  9H – 13H 

(São permitidos apenas 4 barcos por dia. Os pedidos devem ser encaminhados para: visitacao.noronha@icmbio.gov.br com 48h de antecedência. 

MERGULHO AUTÔNOMO – Horário de funcionamento  Manhã + Tarde

(São permitidas saídas apenas com as 3 empresas autorizadas no parque.  Os pedidos devem ser encaminhados para: visitacao.noronha@icmbio.gov.br com 48h de antecedência.)

São tantos motivos que nos enchem de orgulho e só nos fazem desejar uma eternidade ao Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha. Em breve queremos te receber aqui para compartilharmos de tamanha beleza e registrar em fotos e na lembrança todas essas experiências. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *